Um conto de Natal

Chovia muito. Ouvia-se apenas o som das águas correndo e arrastando o que encontrava

pela frente. As roupas encharcadas. Levava apenas uma sacola com suas coisas. A chuva parou.

Enfiou-se dentro de uma caixa de papelão e ficou olhando o movimento. Pessoas desejavam Feliz

Natal umas às outras, carros buzinavam. O relógio da rua marcava dezenove horas.

Tudo calmo, não se via mais ninguém nas ruas. Esticou a mão para sentir a chuva que

finalmente parara. De uma sacola plástica tirou dois pedaços de pão. Do outro lado da rua, um

cachorro sentiu o cheiro e levantou a cabeça. Os dois encaravam–se, então, ele fez um barulho com

os dedos chamando o animal, que imediatamente atravessou a rua e pôs-se ao seu lado.

Os sinos bateram, era missa de Natal.



Deixe uma resposta

WhatsApp