Tal moça existe?

Antes de pensar no que digo, digo o que penso.
Ah essa moça! Essa moça não tem umbigo.
Que isso meu caro amigo?
É o que afirmo, sem umbigo.
Não diga isso, umbigo é o órgão do corpo mais humano.

Antes de pensar no que digo, digo o que penso.
Ah essa moça! Essa moça não tem umbigo.
Que isso meu caro amigo?
É o que afirmo, sem umbigo.
Não diga isso, umbigo é o órgão do corpo mais humano.
Órgão do corpo mais humano? Não sabes o que diz velho amigo.
O umbigo, exibe um sentimento muito antigo, o sentimento da sobrevivência.
Sobrevivência? Não venha com essa…
Sim, nos lembra da nossa importância, que somos mais importante que o outro. Por isso eu digo que não existe pessoa sem umbigo.
Não perco meu tempo com descrentes.
Descrente não. Isso é mito, uma moça sem umbigo simplesmente não é possível.
Possível sim, talvez não seja comum, uma sobrevivente sem umbigo.
E como seria um moça assim?
Assim um sorriso largo e sincero.
Assim um abraço amigo e apertado e tão generoso que se sente a alma ficar doce.
Estou maravilhado meu amigo, e como faço para conhecer pessoa tão especial?
Não pode.
Não?
Ela vive no terceiro andar de uma torre guardada por um guerreiro da bola que tem olhos enormes uma família de zangados.
Mas ela não tem amigos?
Sim, muitos, que fazem parte de uma seleta lista de felizardos que usufruem de seus conselhos, seu ombro para as horas de tristeza e principalmente de suas tiradas sempre tão inteligentes e irônicas.
Mas, assim, fica difícil comprovar a existência dessa moça generosa sem umbigo.
É meu caro amigo, fica sim. Mas tenho certeza que você ainda conhecerá outras pessoas (não muitas, claro) que assim como eu confirmarão o que digo.
Uma moça sem umbigo por certo tem um nome.
Sim mas eu não digo. Uma dica por pura clemencia seu nome tem o nascimento como fonte de inspiração.
Isso é uma bobagem meu amigo, essa moça que você pensa conhecer é apenas um mito.
Então fica com o mito, meu caro amigo, que eu fico com a felicidade de conviver com uma pessoa linda, mas tão linda que o sol pede licença as nuvens só para ver ela passar.

Do Pai, que te ama tanto e sempre. Beijos incontáveis!

Ps: Texto escrito para Nathalia Moore quando participou do EJC Maio de 2014.

 



Deixe uma resposta

WhatsApp