Ela terminou com namorado e está sofrendo, como apoiar?

27

Os outros – kid abelha

“Eu tenho mil amigos, mas você foi

O meu melhor namorado

Procuro evitar comparações

Entre flores e declarações

Eu tento te esquecer

A minha vida continua

Mas é certo que eu seria sempre sua

Quem pode me entender

Depois de você

Os outros são os outros e só”

 

Temos, eu e Patricia, duas filhas que já foram adolescentes e que tiveram seus maus momentos. Terminar um namoro que se estendeu por mais de um ano é sempre doloroso, especialmente para as meninas. As razões são sempre muitas, mas a mais popular é, sem dúvida, a traição. O fantasma da traição ronda os adolescentes que namoram, mas sobretudo os pais que muitas vezes já preveem a situação. Não é incomum as advertências do tipo: “tem certeza filha?”, “Mas ele não ia com você?”. E a mãe começa a reunir um tanto de informações recortadas, conversas maus terminadas, ligações aborrecidas acabando por ficar com o alerta ligado. Nesses casos é difícil a mãe errar. Mas, infelizmente isso não ajuda muito e hoje a situação ainda pode piorar, alguns namoros são interrompidos de forma brusca e sem nenhuma explicação, simplesmente o outro deixa de responder mensagens, bloqueia contatos como whatsapp e instagram e, por vezes, ignora em ambientes comuns como festas, clubes e escola. Essa atitude não é nova e com a tecnologia tomou força e ficou ainda mais cruel.

 

Somos mais velhos, somos pais e precisamos ser amigos de nossos filhos. Digo amigos a ponto de confiar que vamos respeitar as suas dores. Hoje sabemos como essas histórias terminam, mas em nossas adolescências nenhum de nós sabíamos. Eu sei bem o sofrimento que nós pais passamos num momento como este. É duro ver nossas filhas magoadas, chorosas pelos cantos, e por vezes se sentindo a pior dos seres vivos. Tenha certeza, que nesses momentos tudo que pode ser feito, é apoiar e esperar passar. O melhor que você pode fazer agora é ouvir a sua filha falar sobre o que aconteceu, sobre sua angústia, calmamente, sem revirar os olhos, ou dizer qualquer coisa que possa ser interpretada como “eu te avisei”.

 

Eu sei que será difícil que ela aceite, mas tente, insista em conversar.  Incentive sua filha a falar e faça-a entender que se aprende muito com essa experiência.  Que ela deve seguir sua vida, que novos relacionamentos surgirão e que cometer novos erros, embora uma realidade, ainda assim é a melhor maneira de esquecer os antigos. Sua filha namorou por um tempo e agora acabou. Hora de levantar, sacudir a poeira e seguir em frente.

 

Todo esse sofrimento é real e você sabe que isso vai passar. Eu li em algum lugar que  corações partidos se curam e ficam as cicatrizes que tornam-se o mapa de nossas vidas. Fique certa de que toda essa experiência a tornará um adulto mais seguro e feliz.

Abraços e até a próxima.

Paulo Canarim da Patricia, pai do Vinicius, Mariah, Nathália e Tainá. Pedagogo, contista e executivo do Nautilos Marketing Digital

 



Deixe uma resposta